6 de Junho, 2017
Miguel Ramos Richard Bland College

"Foi uma aventura que me ajudou a crescer"

Para jogar, o atleta-estudante tem de ter aproveitamento na parte académica

Há um ano, Miguel Ramos embarcou sozinho rumo ao estado norte-americano da Virgínia para estudar e jogar futebol na conceituada Richard Bland College. Recrutado pelo treinador da Soccer Team da RBC, que lhe ofereceu uma bolsa desportiva para trocar Portugal pelos EUA, Miguel lançou-se rumo à aventura. E venceu: este atleta/estudante da Next Level conquistou o lugar no quadro de honra da universidade e ajudou a sua equipa a vencer o campeonato. De férias em Portugal, conta-nos como foi este ano.

1 - Ao fim de um ano que balanço fazes desta aventura nos Estados Unidos? Foi uma aventura muito boa que me ajudou bastante a crescer como pessoa, e também como jogador. Consegui ter muito bons resultados não só no campeonato, onde fomos campeões da conferência, mas também na sala de aula já que consegui ter muito boas notas e até entrei no quadro de honra nos dois semestres em que estive na Richard Bland College, do estado da Virgínia.

2 - Como é ser um estudante-atleta nos EUA? É algo bastante gratificante já que temos a oportunidade de conhecer muitos sítios novos e assim melhorar a nossa experiência internacional. Temos que ser organizados para conseguirmos ter bons resultados em todas as áreas. Mas, ao fim do dia, vale tudo a pena porque fazemos grandes amizades e conhecemos muitas culturas diferentes.

3- Como foi a adaptação? As primeiras semanas são as mais difíceis já que é um choque grande e ficamos com muitas saudades, mas passado algum tempo enquanto vamos conhecendo pessoas novas e vamos conhecendo outros jogadores que estão a passar a mesma situação que nós, conseguimos ajudar-nos uns aos outros e fazemos com que essas saudades não sejam tão grandes. De resto, foi bastante fácil adaptar-me a tudo, apenas temos que ter uma mente aberta para aceitar pessoas com maneiras de pensar diferentes da nossa.

4 Como geriste as saudades de casa e do teu país? Penso que geri bastante bem. Como conheci bastante gente nova e criei novas amizades consegui aguentar mais as saudades. Como temos os dias bastante ocupados não temos muito tempo para pensar nas saudades.

5 O que achaste do ensino norte-americano? É um ensino com um método bastante objetivo, e que permite aos mais organizados e trabalhadores terem bons resultados. Basta ir realizando as tarefas ao longo do semestre, que é razoavelmente acessível, e ter boas notas. Outro fator motivador é receber prémios e bolsas pelo bom desempenho académico, o que nos faz querer ter melhores resultados.

A equipa da RBC, com Miguel a titular, foi campeã da Conferência

6 Como são vistos os atletas de futebol nos EUA?
Cada vez mais o futebol tem vindo a desenvolver-se nos Estados Unidos e começa a ser um desporto que tem bastantes fãs e que desperta muito interesse nas pessoas. Nós, como atletas de futebol, somos reconhecidos por muita gente na universidade, que nos dão os parabéns pelos bons resultados e que nos motivam quando as coisas não correm tão bem.

7 O que esperas do próximo ano?
Espero que seja um ano tão bom ou melhor que este, tanto a nível académico como desportivo. Espero continuar a não ter lesões e poder ser o melhor estudante-atleta possível.

8 Quais são os teus objectivos de futuro?
Espero acabar o meu curso e depois ver quais são as opções para uma carreira profissional. Se não houver nada irei tentar começar a trabalhar na minha área de estudo e tentarei obter um grau académico o mais elevado possível.

9 Quais foram as maiores dificuldades que sentiste?
Penso que não tive nenhuma dificuldade de maior. A única coisa mais complicada foram as primeiras semanas em que estava com mais dificuldades por causa das saudades, mas depois tudo passou e tive um ano muito bom, com muitas aventuras.

10 O que destacas de melhor neste ano que passou?
O melhor deste ano foi certamente ter ganho a conferência com a minha universidade e ter tido a oportunidade de viajar bastante e conhecer novos sítios. Também destaco as minhas notas que me deram um lugar na President's List nos dois semestres e também no Quadro de Honra dos Atletas.

footer-top